Jaguar – Sébastien Legar
01 Mar 2008 | Tech House

Notícias

Morre um dos pais da Música eletrônica: Isao Tomita

Morre um dos pais da Música eletrônica: Isao Tomita

Na última semana perdemos um dos mais importantes produtores de música eletrônica da história. O Japonês Isao Tomita ficou famoso mundialmente no início dos anos 1970 sendo um dos primeiros produtores de cinema, teatro e TV a introduzir sintetizadores analógicos em suas obras. Seu fascínio pelos trabalhos de Wendy Carlos, autora da trilha sonora de Laranja Mecânica e pelos sintetizadores projetados por Robert Moog o fez adquirir o primeiro teclado, um Moog III modular onde começou a lançar seus trabalhos e criou a Plasma Music. Um dos seus maiores feitos foi interpretar músicas clássicas através dos synths, escolhendo o impressionista Debussy para gravar seu primeiro e mais famoso LP de 1974, ”Snowflakes are Dancing” recebeu da NARM (National Association of Record Marchandisers) como melhor gravação de música clássica do ano. Tomita também foi o primeiro artista do Japão a ser indicado a quatro categorias do Grammy Awards.

Tomita adaptou partituras orquestrais para o sintetizador e desenvolveu técnicas de obtenção de sons eletrônicos para serem empregados no lugar dos sons dos instrumentos acústicos, simulando unicamente e programando tudo que possibilita uma orquestra como cordas, metais e percussão em sequência pré- gravadas.

Para ele um único músico pode tocar piano, bateria, guitarra, flauta, violoncelo, mas poucos são os que podem interpretar bem todos esses instrumentos, então utilizando sintetizadores e computadores como se fossem robôs para ajudar nas várias tarefas, Tomita criou tudo que poderia imaginar. O gênio Japonês ressaltava que ‘’a sua atuação como compositor e sintetista é comparável a de um pintor e suas cores que serão usadas na criação artística.”

Outro álbum de destaque foi Kosmos, utilizando os sintetizadores Moog Polymoog e o poderoso System-700 da Roland, onde ele implementou sons espaciais inciando o disco com o tema de guerra nas estrelas de John Williams e o tema de ”2001: Uma odisseia no espaço de Strauss”. O trabalho também ficou conhecido como Space Fantasy, e chamou atenção do incomparável astrônomo Carl Sagan, que escolheu a obra ‘’The Sea Named Solaris’’ para fazer parte da trilha sonora do programa de televisão Cosmos, exibido em diversos países e assistido por mais de meio bilhão de pessoas no mundo todo.

Sua obra é tão extensa que caberia em um livro, foram diversos outros álbuns com inspirações em Wendy Carlos, Stravinsky, Holst, Ravel, Prokofiev, e outros compositores clássicos, onde utilizou dezenas de outros sinths que depois se tornaram referência na criação de música eletrônica até os dias de hoje.

Um dos seus concertos mais famosos foi no festival anual de música contemporânea Ars Electronica na Áustria em 1984, chamado de ‘’Sound Cloud’’ ele utilizou um sistema de alto falantes em torno do público para projetar os sons de diferentes pontos. Executou suas gravações numa pirâmide de vidro suspensa sobre uma audiência de 80 mil pessoas, descrevendo nesse show a evolução do universo durante seus 15 bilhões de anos, ainda utilizou um helicóptero com alto-falantes e um coral com cem vozes e solistas iluminados por raios laser e efeitos visuais, algo jamais visto até então.

Em 2015 ele recebeu o Prêmio Fundação Japão, desenvolvido para diferenciar personalidades ou instituições que tenham contribuído para promover a amizade e compreensão entre o Japão e o resto do mundo. Isao agradeceu a Honra e comentou:

“Nunca acreditei que a minha arte devia contribuir para promover o país. Mas a música, mesmo que seja uma coisa nova que recorra a sintetizadores, será sempre algo que pode ser apreciado por todos, independentemente da idade ou da proveniência. É esse o conceito por trás de todos os meus projetos”.

Sua morte foi noticiada no ultimo domingo na sua pagina no Facebook.

 

Clayton Dk

maio 13th, 2016

No Comments

Comments are closed.