Jaguar – Sébastien Legar
01 Mar 2008 | Tech House

Sem categoria

A ascensão das mulheres na Indústria da Música Eletrônica

A ascensão das mulheres na Indústria da Música Eletrônica

Por todo o mundo Djanes tem mostrado conteúdo e disposição para enfrentar um mercado cada vez mais competitivo e, por vezes, machista. Ainda são poucas frente a tantos DJs homens mas as que conquistaram seu espaço tem um trabalho sólido. A satisfação e a sensação de plenitude profissional vem através do próprio esforço e daqueles que as apoiam verdadeiramente; os pequenos clubs, a cena underground de diversas cidades mundo a fora, seja Berlin, Paris ou Curitiba, os locais onde rolam as festas é onde nascem os talentos.”

Um bom exemplo de sucesso das mulheres na música eletrônica é a Agência 24 Bit de Curitiba.
A Agência tem um trabalho consolidado na cena eletrônica brasileira, gerenciando a carreira de diversos artistas como Antonela Giampietro, Aninha, Eli Iwasa e Nastia, só para citar as mulheres.

A própria 24 BiT , por exemplo, tem entre suas fundadoras a DJ/produtora Aninha – residente do Club Vibe e Warung – e as produtoras Fernanda Paludo e Priscila Prestes, todas premiadas pelo Rio Music Conference. O que se vê então é que de uma ponta a outra as mulheres estão presentes, das Agências às produtoras de evento, e que no geral – mas especificamente no Brasil – mandam muito bem.

Ingrid ChasserauxAntonela Giampietro, Aninha, Ananda Nobre, Mara Bruiser, Ane Ferraz,Hiorrana e Ellie Ka.  Eu poderia fazer uma lista gigante, mas deixa as listas pra lá, pois sempre falta alguém nelas! São tantas as excelentes profissionais em atividade no Brasil…

Seja na política, engenharia, futebol ou na música, é fato consumado que, mesmo em sociedades machistas como a brasileira e a dos Estados Unidos, “as mulheres cada vez exercem funções profissionais antes, quase, exclusivas dos homens”. Essa frase – quase que um clichê pós revolução feminista – não inclui nela um grande problema. A questão do acesso e da remuneração, como quando o contratante exige que a profissional se enquadre num determinado padrão estético. Isso acontece muito por aí, como neste caso, onde o americano – pretenso DJ e dono de agência americano, recentemente fez o seguinte post nas redes sociais .

Por

Clayton Dk

abril 16th, 2016

No Comments

Comments are closed.